Busca por Profissional

Conheça as vantagens que você poderá ter sendo um associado e como fazer para associar-se.

Notícia

Publicado em: 14/10/2014 10:10

O trabalho ilegal de projetistas, que mesmo sem habilitação, realizam projetos de construção civil, tem sido constatado em Maringá, Cianorte e região. Muitos desses trabalhos têm contado com a participação de engenheiros que apenas assinam a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) para formalizar irregularmente a responsabilidade técnica de obras. Tal atitude tem preocupado o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR), por conta dos prejuízos causados aos proprietários, que adquirem um trabalho sem qualidade, podendo trazer prejuízos financeiros e colocar em risco a integridade física de pessoas. As situações mais comuns são encontradas em projetos de casas de pequeno porte, conforme afirma o presidente da Associação Regional dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Cianorte (AREARC), Luiz Fabiano Calderoni. Ele conta que, em geral, os projetistas ilegais são pessoas que conhecem programas de desenho de projeto, mas não possuem qualificação e habilitação. ?Muitos não têm nem o curso técnico?. Para tornar regular a atividade, eles procuram engenheiros para apenas assinar a ART. ?Tem casos em que o desenhista mesmo acompanha a obra, ou o proprietário fica a mercê do mestre de obras. Quando um engenheiro participa do ?esquema?, geralmente recebem uma pequena quantia só pela assinatura, mas não acompanham os trabalhos?, conta Calderoni. As consequências já começaram a aparecer. Segundo Calderoni, donos de imóveis da região, que tiveram problemas na estrutura, já entraram na justiça. ?Esses engenheiros precisam entender que eles são responsáveis pelas obras que assinam. O juiz não leva em consideração se foi o desenhista que fez todo o trabalho. Quem vai responder pelo estrago é o engenheiro, independente dele ter apenas assinado projeto?. O CREA-PR tem procurado alertar engenheiros e proprietários sobre os prejuízos que tal prática pode acarretar. O inspetor-chefe do CREA em Cianorte, Alex Godoy, reforça que os projetistas não têm preparo para se responsabilizar por uma obra. ?Contratar um profissional não habilitado é um risco, pois ele não tem os estudos necessários para a realização do projeto. Muitos não levam em consideração as características do terreno, a compatibilidade hidráulica, elétrica, entre muitos pontos. Pode haver prejuízo na qualidade e depois não haverá a quem recorrer, em caso de problemas. Algumas pessoas, querendo economizar, contratam essa mão-de-obra ilegal, mas não pensam que isso pode trazer gastos muito maiores no futuro, com intervenções, reformas, reforço estrutura, entre outros?, diz Godoy. O conselheiro do CREA em Cianorte, Fábio Magron, orienta também os proprietários. ?Algumas pessoas contratam empresas para fazer suas casas. É importante verificar se a empresa é registrada no CREA-PR, se o projeto foi de fato feito por um engenheiro e se ele está acompanhando a obra. Mesmo ao comprar residências já prontas, é essencial conhecer o profissional responsável pela construção?, diz. O desenhista que for flagrado atuando além das suas responsabilidades pode responder pelo exercício ilegal da profissão. O engenheiro sofrerá sanções éticas do CREA-PR por acobertamento de leigo, cujas penas oscilam entre advertência até a perda do registro profissional.

Mais notícias

Geral

Crea-PR lança o Livro de Ordem digital, ferramenta prática e gratuita de gestão de obras e serviços

Postado em 14/10/2014 10:10

Geral

11 de Dezembro dia do(a) Engenheiro(a)

Postado em 14/10/2014 10:10

Geral

Engenheiro Ricardo Rocha de Oliveira é reeleito como Presidente do Crea-PR

Postado em 14/10/2014 10:10

Geral

Eleições do Sistema Confea/Creas e Mútua 2020

Postado em 14/10/2014 10:10

Geral

Boletim Informativo

Postado em 14/10/2014 10:10